domingo, 13 de abril de 2014

Mãe

Bebeu
bebeu
e bebeu.

E passou a noite inteira
bêbada.

Na manhã seguinte
amou como ninguém,
e sorriu com doçura,
e abraçou os filhos
com ternura,
como nunca antes havia feito.
E em prantos agradeceu,
por ainda estar viva.

E prometeu
por seus filhos
nunca mais beber.


Com a gratidão de sempre,
Edinaldo Abel

Edinaldo Abel/Recanto das Letras

2 comentários:

ernani-fotografias disse...

Geralmente as pessoas que são alcoólatras, são assim mesmo. Começam beber e não conseguem parar.
Ficam inconvenientes, perdem a vergonha e muitas vezes começam chorar. (choro de bêbedo).
Realmente você expressou na poesia, aquilo que acontece na vida real dos bebuns!
Mais uma vez parabéns pelo seu talento.
Abraços.

Edinaldo Abel disse...

Obrigado meu amigo Ernani, procurei ser realista. Abraço.

Postar um comentário